os 10 princípios da água

(por Javier Martínez Gil, in “Propuestas para la gestión y el uso adecuado del agua”)

  1. Não inundar os vales de montanha e não drenar as fozes dos rios, que são abrigo e sustento de populações para cuja identidade contribuíram;
  2. Conservar os rios e o património que nos seus cursos floresceu ao longo da história, e devolver à água dos rios as funções e atributos mais essenciais;
  3. Gerir a água com base no princípio da solidariedade, como herança comum que todos nós – as gerações actuais – recebemos e que devemos transmitir nas melhores condições possíveis às gerações vindouras;
  4. Preservar a qualidade da água, alterando o menos possível os sistemas naturais, reduzindo à partida a carga contaminante e restringindo gradualmente as necessidades do seu tratamento;
  5. Gerir de forma sustentável os recursos hídricos, enfrentando o desperdício através da poupança, das melhorias no seu uso eficiente e da sua reutilização;
  6. Implementar a cultura da participação e a imaginação capazes de darem lugar às sábias estratégias do fazer bem em pequena escala, e à subsidiariedade enquanto formas obrigatórias da gestão;
  7. Viver a água baseado em nossa realidade de país mediterrânico, uma realidade restritiva, incompatível com a cultura do bem livre que apregoa a oferta ilimitada da água a expensas do erário público;
  8. Abandonar a dialéctica demagógica de um falso produtivismo da água (nomeadamente no regadio) para incorporar critérios sérios de valorização económica e recuperação integral dos custos, na perspectiva de uma gestão sustentável do desenvolvimento;
  9. Aproveitar as águas superficiais e subterrâneas enquanto recurso unitário, tendo em conta que fazem parte de um único ciclo e que combater a sobre-exploração dos aquíferos e a sua contaminação é o melhor contributo que podemos dar para tal aproveitamento conjunto;
  10. Defender o conceito da água enquanto recurso público gerido com base no interesse geral, evitando sua mercantilização e conversão em objecto de especulação.

Todos estes princípios podem resumir-se em dois:

  • Gerir a água enquanto recurso e conservá-la enquanto património;
  • Gerir a água através de políticas de controlo da procura e não de aumento da oferta.

10 Principles for a New Water Culture

  1. No flooding of river valleys and no drainage of river mouths, both home and sustenance for populations to whose identity they contributed;
  2. Conserve the rivers and the heritage that flourished alongside their courses through history, and deliver basic functions and attributes to rivers’ water;
  3. Manage water based on solidarity, as common heritage that we all – the present days generations – received and which we should transmit in the best conditions possible to the future generations;
  4. Preserve water quality by changing the lest possible natural systems, by reducing from the beginning contaminating charges and restricting the need for their treatment;
  5. Manage in a sustainable way the water resources, by confronting waste of water by means of saving, optimizing its efficient use and reuse;
  6. Establish a culture of participation and imagination able to yield the wise strategies of doing good at small scale and subsidiarity as obligatory principle of management;
  7. Live water having in view our reality as a Mediterranean country, reality which is restrictive and incompatible with the culture of a free good that prays the unlimited offer of water on public charges;
  8. Abandon the demagogic dialectic of false water’s productivity (especially regarding irrigation) and incorporate serious criteria of economic valuation and full integration of costs, in the scope of a sustainable management of development;
  9. Use surface und underground water as Unitarian resource having in mind that they are part of one unique cycle and that fighting the overexploitation of aquifers and their contamination is the best way we have to achieve such a joint utilization;
  10. Defend the concept of water as a public resource managed on behalf of the general interest, and avoid its commercialization and conversion into an object of speculation.

All these principles can be summed up by two:

  • Manage water as a resource and conserve it as heritage
  • Manage water by means of policies of demand control and not by increasing offer

2 responses

1 12 2008
Duda

i think this is really important to know and me, as a portuguese student(Portugal spends lots of water), i am doing a school asignment about water and this 10 principles will certaintly help me a lot.

23 06 2009
Esther Rosenbaum

Nice conversion here.,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s